quinta-feira, 9 de julho de 2009

Pé na estrada!

03/07 - despedida do Sambito, chegada em Teresina e viagem para Parnaíba.


Acordamos 4 e pouco da manhã, como combinado, nem tomamos café e pegamos a caminhonete com meu primo rumo a Teresina. Saímos no escuro, mas como a estrada é de terra e o caminho demorado, chegamos em Pimenteiras com o dia claro já. Só paramos na cidade para descer algumas pessoas e fomos direto para Valença. Descarregamos tudo da caminhonete, nos despedimos dos primos e pegamos o bus para Teresina.

Chegamos em Teresina na hora do almoço mais ou menos e aproveitei para comer e conhecer melhor a cidade com as minhas primas. Algumas primas moram em Teresina, mas fiquei mesmo grudada na Deliane e na Dairlene, que são umas fofas! Ano que vem estou esperando a visita delas aqui em casa. Fomos pra cima e pra baixo juntas, na lan house, nas lojinhas, em tudo! Teresina é quente demais, absurdamente quente, difícil de se acostumar. Mas em Teresina achei Kinder Joy, super difícil de achar em Sampa, huahuah! Conheci meu priminho João, que tem quase um aninho, revi minha prima Laysa, que conheci bebezinha e que está uma mocinha linda agora! Fiquei hospedada na casa da minha prima Arlene (eu sempre confundo os nomes delas, são todos parecidos, acho que Arlene está certo, rs) e o Ivan. Fiquei na casa deles em 2003 e agora de novo. A casa deles pegou fogo há um tempo atrás e eles estão correndo e refazendo a vida... muito esforçados e merecem todo o sucesso do mundo!!!

A parte engraçada de Teresina é todo mundo ficar surpreso de uma paulistana estar na cidade. Todo comércio que eu ia e chegava com meu "porrr favorr" deixava todo mundo curioso pra saber de onde eu era, rs. E quando falava São Paulo o pessoal ficava bem surpreso, porque não é comum paulistano andar por aquelas bandas não.

A noite milagrosamente, de acordo com minhas primas, choveu em Teresina! Eu disse que a culpa era minha, porque paulistano sempre traz chuva pros lugares...

Depois da chuva pegamos o onibus para Parnaíba, umas 6 horas mais ou menos de viagem. Chegaríamos cedinho na cidade, já cheios de coisas pra fazer...


A saudade de casa é grande, já até chorei... saudade do Otto, do Max, da minha casinha e caminha, do meu chuveiro quente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário