sexta-feira, 10 de julho de 2009

Visita ao Parque das Sete Cidades

06/07 - Piripiri e volta para Teresina

O dia começou beeeem cedo, 5 e meia da manhã estávamos todos acordados (quer dizer, acordar o Gugu foi beeeem difícil). Levantamos e fomos tomar café no hotel, muito gostoso. O café da manhã no Piauí tem um caldo de carne com ovos muito gostoso, sustenta bastante. Fomos para a pracinha do dia anterior para esperar o onibus. E que onibus é esse? Ao invés de pegarmos um taxi que sairia 30 reais até o parque, fomos com o onibus do Ibama, que passa em Piripiri para pegar funcionários do parque. Como sempre sobra lugar, eles levam alguns turistas de graça, porque o parque mesmo fica em Piracuruca, uma cidade vizinha.

Pegamos o onibus dos funcionários, chegamos ao parque e uma das meninas que estava no onibus foi nossa guia, voce paga se não me engano 40 reais e passeia por quase todo o parque, porque o percurso é feito todo a pé e fica faltando uma cachoeira que fica a 5 Km de distancia do ponto inicial. O passeio foi muito legal, só me arrependi de ter ido de chinelo, fiquei cheia de bolhas! Passamos por 6 das 7 cidades imaginárias do parque, que é cheio de pinturas rupestres com 10 mil anos de idade, pedras que parecem vários animais, rostos... só que tava um calor!!! E tinha tanta subida! Minha mãe reclamou pra caramba, não sei nem como ela aceitou fazer esse passeio. No fim todos adoraram, valeu mesmo a pena! Tinha uma pedra que se chamava o beijo dos lagartos. A história é mais ou menos assim: um casal tinha um romance proibido e os pais deles pediram para uma feiticeira transformá-los em lagartos e petrificá-los. A pedra parece mesmo dois lagartos prestes a se beijar, falta só um pouquinho... e diz a lenda que o dia que eles conseguirem se beijar o feitiço será quebrado e eles voltarão a ser pessoas, assim como as pedras com formatos de animais voltarão à vida e as sete cidades mais próximas ao parque serão petrificadas... lendas, né! Também tem uma caverna no parque que foi moradia de um homem com seu filho, que era epilético. Como naquela época a sociedade não aceitava esse tipo de doenças (achavam que era bruxaria, essas coisas), ele mudou com o filho para essa caverna e lá viveu até a morte do filho, isso no começo dos anos 90. Agora não me pergunte como eles conseguiram viver lá... é inabitável! A guia contou que estudos realizados no parque mostram que a região foi um oceano há 400 milhões de anos... e eu acredito, porque do nada tem umas pedras no caminho do tamanho de prédios! Se não foi oceano, foi ET mesmo.

No fim do passeio demos uma parada no Hotel Sete Cidades, que fica dentro do parque, lindinho, numa próxima quero ficar nele e esperamos o taxi chegar. O taxista muito gente boa nos levou num restaurante MARAVILHOSO, chamado Chico Jovem. Acreditem, comemos uma porção de 1kg de picanha, com arroz, salada, farofa, suco de cajá por 46 reais! Saimos os 4 satisfeitos e a comida era deliciosa! O taxista também comeu, claro!

Passamos no hotel, pegamos mala e cuia e fomos pra rodoviária pegar nosso bus para Teresina... a viagem estava chegando ao fim!

Já em Teresina (detalhe, 30 graus...) ficamos na casa da minha prima mais uma vez e começamos a arrumar as coisas para a volta pra casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário