quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Como se eu não tivesse nada pra fazer

O tempo está passando e ao invés de eu crescer, estou ficando mais infantil, só pode ser isso. Deve ser medo de ficar velha. Em 2009 eu fiz um piercing no nariz pela 4ª vez. Fiz também uma tatuagem, que me rendeu uma bela bronca da minha mãe e por sinal nem sei se meu pai já sabe da minha nova arte. Ainda tenho piercing no umbigo, que de acordo com a minha mãe estou até velha pra ter. Tenho meu piercing escondido, ainda gosto da Hello Kitty, meus cadenos da faculdade são do Pooh, tenho regatinhas do Mickey e do Tom, quando levei o Thomas no Mundo da Xuxa brinquei tanto quanto ele e estou louca para levá-lo ao Parque da Mônica, porque além de querer que ele conheça o parque antes que feche, estou com saudades de lá.

Depois que Otto comprou o video game dele, peguei uma certa antipatia por jogos. Eu sempre gostei de video game, desde os tempos do Super Mario e Alex Kid (lembram?). Tive Super Nintendo, zerei Mario World e Donkey Kong, tive um Play 1 com meu irmão, jogava o Play 2 do Gugu, era Crash, emuladores de Nintendo, Yu Gi Oh, Harvest Moon e especialmente Guitar Hero, que joguei muito já casada. Mas quando chegou o novo video game em casa, enciumei que nem irmão mais velho quando chega o irmãozinho novo em casa. Otto estava há meses planejando a compra desse trem e eu o apoiei, mesmo porque gosto de video game. Mas quando ele chegou, não gostei. Otto se juntou com meu irmão e se pos a jogar. Meu irmão comprou jogos, Otto também. Eu mesma dei de Natal um jogo pro Otto. Até o Thomas, meu fiel companheiro, se rendeu, adora Lego Indiana Jones. Eu não gostei de nenhum jogo, fiquei de fora e eu odeio ficar de fora. Não sei jogar futebol, até gosto, mas atrapalho as pontuações e eles não me deixam jogar por isso, não sei jogar jogo de tirinho, não sou boa no Silent Hill, no GTA só sei atropelar todo mundo e bater os carros. Fui pegando raiva do tal video game, bronca. Até que Otto sugeriu de comprarmos o Uno pela internet, que ele tinha encontrado bem baratinho e que ele achava que eu ia gostar, já que adoro Uno. Compramos. Como se eu não tivesse nada pra fazer, viciei nesse negócio e agora ninguém me tira mais do video game, estou ficando até de madrugada jogando, acordando com sono. Um dia desses fiquei horas seguidas jogando, até Otto e meu irmão ficaram torcendo pra mim, não sei se pra me agradar ou se Uno conseguiu ficar emocionante. Tem a opção de jogar online, então eu monto uma sala e jogo com o povo, ligo o microfone e fico lá, papeando in English. Estou viciada. Tenho que trabalhar, cuidar dos meus amores, mas acho uma brechinha pro meu Uno. Agora Otto tem que dividir o video game comigo, deve ter se arrependido de propor a compra do Uno... apesar dele ter gostado também.

Agora, enquanto escrevo, estou lembrando que tenho trocentas coisas pra fazer, ligar em vários lugares, levar um documento na Federal, tentar recuperar meu PC, comprar o presente do Quiquito, tanta coisa... então hoje o dia será agitado. Por isso, segue uma música que sempre me faz dançar muito!

David Guetta feat. Akon - Sexy Bitch

Um comentário:

  1. Rs! Adorei o post e principalmente me diverti horrores e eu tbm odeio video games, não porque não sei jogar, porque você sabe que eu sou ótima para estes eletrônicos.

    Te amo e saudades!!!

    BjuBju

    ResponderExcluir