quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

8 anos de Lua!

Hoje a Luri faz 8 anos! Caramba, como passou rápido... 8 anos, pra um cachorro, é bastante tempo se você analisar que um cachorro vive em média 13 anos. Não parece que foi ontem, mas também não parece que faz 8 anos que ela nasceu. Ela chegou aqui em casa com 2 meses, um bebê pequeno e fofo. Falar dela é fácil e tem um post só sobre ela por aqui: Minha paixão por animais - Lua.

Ela chegou miudinha, pequenina, a coisa mais linda. Conquistou todos da casa logo de cara, por isso eu digo que beleza conta e ajuda, ô se ajuda... e filhotes tem aquele poder, aquela coisa mágica que cativa qualquer pessoa. Filhotes em si são fofos e meigos. Minha mãe diz que até filhote de barata é bonitinho. A chegada da Lua em casa foi que nem chegada de um filho muito querido (pelo menos por mim). Eu escolhi o nome dela antes dela nascer, fiquei feliz pra caramba, pensava nela direto. Quando ela chegou em casa, escolhida a dedo pela Dani (muito bom gosto por sinal), eu não me aguentava de alegria. Ela era a primeira cachorrinha que eu tinha depois que tinha perdido a Princesa. Ela chegou e dobrou até minha mãe, que dizia que nunca mais teria um cachorro. Meu pai então, ficou todo bobo com aquela bolinha preta que só sabia dormir e suspirar... chegou pequena e cheia de personalidade, já brincava de morder sério, passeava já cheia de requebrado e claro, como toda lady que ela é, logo se apegou na minha mãe. Meu pai diz que a Lua é o fim do mundo, a legítima fêmea paulistana, fresca, cheia de vontades e temperamental. Inteligente que só, sabe tudo, entende tudo o que falamos. Odeia remédios de pulga e mais ainda ir ao veterinário, porque toda vez que vai lá significa tomar uma injeção... geniosa que só, adora um carinho na barriga e tomar a atenção do meu pai. Se eu sento do lado dele, ela logo se põe no meio, que disputar a atenção dele comigo. O que ela não sabe é que ela não precisa disso, meu pai tem um imenso carinho por ela. Depois que eu casei então, danou-se tudo... ela virou a filhinha deles de vez, tem roupas, ração da cara, biscoitinhos... mas vamos combinar, ela merece tanta adulação. Quando casei, levei ela embora comigo. Não durou uma semana, a bichinha nem comia de saudade dos meus pais... e minha mãe estava morrendo sem ela também. Desde então ela mora com eles, foi a melhor coisa que fiz para todos, ela é muito feliz lá e com certeza faz eles muito felizes também. Ela é nossa alegria, alegria essa que faz mais uma primavera hoje, parabéns, Lua!


Tinha como resistir a essa bolinha linda?

Pra finalizar, um vídeo pra pretinha mais linda da minha vida: Lua e o presente

Nenhum comentário:

Postar um comentário