quinta-feira, 13 de maio de 2010

Odeio o frio - parte 357

Só para constar, mais uma vez, eu odeio o frio. São Paulo é uma cidade com o clima de gente louca, que tem uma população que vive com doenças respiratórias (rinite, sinusite, bronquite, asma), nariz congestionado, olhos lacrimejantes. É poluição, chuva, frio, calor, granizo, tudo no mesmo dia. Eu, claro, estou meio doente, fanha, odeio estar assim. Para ajudar, é péssimo fazer qualquer coisa nesse frio, lavar louça, entrar ou sair do banho, escovar os dentes. A minha revolta toda envolve estar meio doente com uma coisa que aconteceu hoje de manhã que me deixou resmungando que nem o Muttley, o cachorro do Dick Vigarista. Acordei, sofrendo de frio, levantei, me troquei, pus meia, calça, blusa, cacharrel, jaqueta, cachecol (para daqui a pouco já ter que tirar tudo por causa do sol do meio dia, isso já me irrita). Fui escovar os dentes, outro ritual: arregaça a manga, puxa o cabelo da Rapunzel para trás, puxa o cachecol junto. O que acontece? Cai dentro da pia o cabelo, o cachecol e as mangas da jaqueta, claro! Me ensopo nesse frio, fico mais ranzinza que o normal pela manhã, saio bufando de casa sem pentear o cabelo. Ainda bem que passada meia hora, já no serviço, eu acordei definitivamente (sim, eu vou trabalhar sonâmbula todo dia) e agora estou dando risada de tudo isso que aconteceu. Espero que eu tenha um bom dia, assim como vocês!

Nenhum comentário:

Postar um comentário