segunda-feira, 21 de março de 2011

Pra você, meu Arthur

Hoje, filho, mamãe acordou te amando mais que nunca, não sei porque. Dizem que a gente ama os filhos mais e mais a cada dia que passa, que quanto mais velhos eles ficam, mais os amamos. Eu acho que deve ser verdade, porque depois que você surgiu, a vovó e o vovô demonstram que me amam mais do que nunca. O vovô diz que vai te ensinar a dizer que é do Norte (assim como fez comigo e com o tio Gugu, rs) e a vovó? Essa coruja... não para de te comprar presentes, mexer na barriga da mamãe pra te procurar, faz planos das roupas que você vai usar, de onde vai estudar, sonha alto comigo.

Esse fim de semana você fez questão de deixar bem claro que veio pra ficar: me chutou demais da conta. A parte boa é que a azia da mamãe melhorou, mas em compensação você me chuta incansavelmente. Sábado você chutou minha costela direita por três horas seguidas, eu ria muito de sentir seus pulinhos. Você deve estar um moção, porque te sinto na altura do estômago muitas vezes. Agora mesmo você está chutando pra caramba, mas dessa vez perto do umbigo, uma tremedeira só! E eu fico toda boba e feliz, é um sossego pra mim quando você chuta, é um aviso de que está aqui, crescendo forte para logo estar em meus braços...

Não vejo a hora de te ter no colo, sentir seu cheirinho de orelha, beijar seu pézinho, te fazer massagem em cada dobrinha. Confesso ter um medinho de cuidar do seu umbigo, mas pra isso mamãe vai fazer curso e contar com a ajuda da vovó quando você chegar. Sei que vai passar rápido, estou tão ansiosa que já estou comprando roupas bem quentinhas pensando nas manhãs frias que terei que te levar pra escola (e já fico toda mole com aperto no coração...).

Minha vida virou você. Tudo é você: minhas futuras viagens, passeios, casa, tudo é pensando em você antes. Comprar coisas pra mim? Pra que? Ainda bem que tenho a vovó pra cuidar de mim, me arrumar. Ela me deu muitas roupas e uma bota linda, disse que não posso passar frio e nem ficar doente, por causa de você.

Você, que há quase um mês atrás tinha meio quilo, já é tão, mas tão amado! E eu, meu filho, te amo de um jeito que não cabe em mim, converso com você, te faço carinho (é só passar creme na barriga que você responde com um chutão!), falo de você... cada chute é uma alegria. Quando faço ultrasom então... ganho o dia, ou melhor, os dias, porque fico te vendo várias e várias vezes. Te ver, mesmo que em preto e branco, é tão bom... eu entendo tudo, meu filho, vejo suas perninhas, bracinhos, seu narizinho e queixinho lindos... você sempre está com a mãozinha direita encostada no rosto, como se estivesse se apoiando, é tão lindinho! Além de uma alegria, cada ultrasom é um sossego, porque você sempre é elogiado, sempre dizem que você é um meninão grande e saudável.

Essa semana tem ultrasom e eu estou contando os minutos pra te ver de novo, você deve ter crescido tanto, estou tão curiosa! Ah, meu filho... que alegria te ter comigo, em minha vida, em mim! Sentir e ver você crescer é uma plenitude pra mim, é muito, mas muito melhor do que eu imaginava. Obrigada por fazer parte da minha vida, Arthur, obrigada mesmo, não sei como vivi sem seus chutinhos gostosos até hoje!

Amo você, filho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário