quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Back to college

Esse semestre voltei com força total ao IF. Tudo começou bem, 2010 entrei, cursei até o fim do ano e descobri que estava grávida do Arthur. Mesmo grávida, super barriguda, fui até o dia do parto estudar, pode? Por sinal, suuuper barriguda eu fui para a visita técnica de Campos do Jordão, para a visita a Santos e lá andei de escuna, teleférico, bonde... não acreditam? Olha aí!


Passeio de escuna

A caminho!

Ah, não posso esquecer, também estava grávida na visita à Curitiba e Morretes!

Eu tinha uma paixão muito louca pela Federal, muita coisa boa aconteceu comigo lá. Só o fato de eu ter a Bruna e o Val como amigos para o resto da vida, já valeu a pena pegar essa estrada! 

Aí o Arthur nasceu. E junto a Federal entrou em greve e tudo se complicou mesmo! Com a greve, não tirei a licença maternidade, não vi necessidade. Mesmo com Arthur recém-nascido, frequentei algumas poucas disciplinas. Foi um grande desafio, eu amamentava, cheguei a levar o pequeno para as aulas (e ele sempre foi chorão, pense na dificuldade), o deixava em casa para ir correndo para a aula e tentava voltar correndo mais ainda. Quando ele tinha 5  meses, passei um dia inteiro fora, fazendo a Convenção de Turismo. O combinado era levá-lo, mas de última hora fui proibida de fazer isso e ainda recebi a notícia de que, se não fosse trabalhar no dia da Convenção, reprovaria na matéria. E eu sou  assim, às vezes "levo" uma matéria. Mas quando me dedico, me dedico mesmo, não falto, faço trabalhos, estudo mesmo, me viro nos 30, mesmo com filho pequeno. Aí fui para uma cidade vizinha a Sampa e passei o dia todo trabalhando no evento, pensando no Arthur e ligando de meia em meia hora pra casa, foi um sacrifício e tanto, mas no fim passei na matéria, valeu por isso. 

E aí depois começaram umas palhaçadas que me irritaram e quase me fizeram desistir da Federal. Uma delas foi ter tirado boas notas em uma disciplina X e a professora ter me reprovado por falta (e ainda me perguntou porque faltei tanto... ahn, deixe me ver, porque eu tinha acabado de ter um bebê???). Aí no outro semestre foi ter frequentado a matéria, me dedicado pra caramba e ter sido reprovada sem explicação, mas enfim... 

Terminar esse curso virou uma questão de honra. Já me perguntaram, pra que eu preciso fazer esse curso se já fiz outra faculdade, já fiz MBA e tal. Porque eu adoro estudar, porque terei um diploma superior público, porque já dediquei muito tempo e dinheiro nesse curso e por todo o esforço de ir para aula grávida, de deixar filho novinho em casa e de até hoje deixá-lo em casa algumas noites por semana para me dedicar ao Turismo. 

Eu adoro o curso e semestre passado comecei a me apaixonar de novo. Com menos intensidade, afinal, depois que o Arthur nasceu nada me cativa mais do que esse lorinho bagunceiro, rs. Quero muito mesmo dar aula, além de gostar de falar pelos cotovelos, muitas pessoas já me disseram que levo jeito e também penso em poder trabalhar meio período e ser mais presente para meu menino, levá-lo à natação, a um parque a tarde, a um cinema, sem ter que disputar espaço e vagas em shoppings no final de semana. Ficar sem trabalhar eu não consigo, porque adoro ter minha rotina, sair de casa, faz bem para mim e isso me faz ser uma mãe melhor também, pois dou muito valor aos momentos que tenho com Arthur e também porque é ótimo ter meu próprio dinheiro. E a meta é essa, depois da Federal, me embrenhar no ramo da Educação (já estou nele há 4 anos mesmo) e dar aulas, venho contar se meu sonho se realizou.

E quer saber? Se eu me conheço, ele vai se realizar SIM!

Agora deixa eu correr que tenho aula de Economia começando em 15 minutos =P

Nenhum comentário:

Postar um comentário