terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Só pra constar

Que calor é esse?

Eu amo o calor, antes de qualquer atirada de pedra. Só estou surpresa porque, em minha memória de quase três décadas, não me lembro de um verão tão quente e longo em São Paulo. Eu sempre falei que nasci na cidade errada, que eu devia mesmo era ter nascido em Fortaleza, Natal, algum lugar de praia que faça um calor infernal. Amo calor, acho que facilita a vida, dá mais ânimo para sair da cama, posso tomar banho sem me preocupar se fechei todas as janelas, lavar o cabelo todo dia, andar de shorts, regata, vestidos, sem me preocupar em usar meia-calça ou botas. Até peguei umas dicas para me livrar do calor, se quiser ler também, clique aqui.

A chuva no frio é péssima, gelada. No calor, refresca, é esperada. As pessoas sorriem mais, tomam sorvete, se encontram mais porque fica mais fácil sair de casa no calor. As crianças adoecem um pouco menos. Em casa meu filho e eu somos super alérgicos, mas como meu filho está só começando, é pior. Ele vivia doentinho, com tosses feias, fazendo inalação. Faz um tempinho que ele não tem nada e agora com o calor, ele está bem, o que me deixa bem feliz! No frio ele fica tão mal, tadinho... no frio eu tenho sinusite e tomo antibiótico, eca. Eu odeio remédios, não tomo nem pra dor de cabeça, só tomo em último caso e tomar antibiótico é desanimador!

Tudo bem que esse calor está seco, dá pra ver a grossa faixa de poluição no céu. Em casa, para contornar, coloquei umidificadores em quase todos os cômodos para ajudar dois paulistanos alérgicos a ficarem bem (porque meu marido carioca não tem um ite que nós, paulistanos adoramos ter, rs, que inveja!).

As temperaturas estão loucas, sábado o termômetro de rua bateu 37º! E outras pessoas comentaram que também viram essa temperatura em outros relógios da cidade. Essa temperatura na cidade grande eu só vi em dois lugares: no Rio de Janeiro e em Teresina. Em Sampa nem esperava que fosse possível, achava que 35º era o limite.

Termômetro na Paulista. Vai um calorzinho aí?

Falando em Teresina, taí o lugar mais quente que eu já fui na minha vida. Para quem não conhece, Teresina é a capital do Piauí. É uma cidade que vem crescendo e desde a primeira vez que fui para lá, em 2003, mudou bastante. Foi criada uma ponte estaiada com mirante, uma pista de cooper e ciclovia na beira do Rio Poti, fora que está com mais shoppings, mercados, mais estrutura. Eu adoro o estado do meu pai e procuro ir para lá uma vez por ano. Apesar de tudo, o calor de lá é o mais impressionante que já senti. Faz 35º. A noite.

Ponte Estaiada de Teresina

Meu pai, piauiense, diz que nem o diabo fica em Teresina de tanto calor. A cidade tem dois rios, fica no meio-norte do Brasil, próximo a linha do Equador (tanto que os rádios sintonizam estações de lugares diferentes e até em espanhol!). Acredito que esses fatores geográficos colaborem para o calor de lá ser tão característico. Brinco que São Paulo está com calor de Teresina e, sem comentar nada com minha mãe, ela veio me fazer esse comentário, que parecia que estávamos em Teresina. Para quem ama calor como eu, a sensação de forno é muito boa, rs. 

Ah, antes de me despedir, lhes apresento Teresina! 

Me despeço, sabendo que esse calor é temporário, que parece que esse fim de semana fará frio e que o inverno de 2014 será o mais bizarro em anos. Aguardemos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário