segunda-feira, 9 de junho de 2014

Plantas não convencionais para sua salada

Eu nunca comi nenhuma delas, acredito que pela falta de conhecimento e por nunca ter topado com elas em algum mercado ou hortifruti. Já conheci pessoas que comeram Ora-pro-nóbis e adoraram, os vegetarianos costumam usar bastante. Pretendo ir atrás para experimentar algumas delas, será que encontro no Mercadão?


Chuchu-de-vento: famoso no Peru. Pode ser consumido cru, frito ou cozido. O fruto é amargo adocicado. Acompanha carnes e molhos. É uma trepadeira, então precisa de espaço. É raro Vê-lo em uma calçada.







Beldroega: boa para salada. Os talos e folha podem ser consumidos crus ou como sopas, sucos ou caldos, que ficam cremosos. Os ramos e as folhas são pequenos e podem ser encontrados em qualquer solo rico em matéria orgânica – até mesmo em terrenos baldios.






Ora-pro-nóbis: cacto com jeito de trepadeira, é popular em Minas, onde é consumido em angus, sopas, mexidos e omeletes. Encontrado em vários lugares, precisa de pouca água e sobrevive em condições extremas.





Serralha: conhecida também como chicória-brava, as folhas, quando tenras, combinam com salada verde. Comum em terrenos abandonados, próximo a muros e cercas. É uma erva resistente que não chega a 1 metro de altura.









Jacatupé: consumido na Amazônia Ocidental. As raízes podem ser comidas cruas, cozidas ou defumadas. É possível fazer polvilho das raízes para bolos e tortas. Mais difícil de encontrar, é uma trepadeira comum em cabeceiras de rios da Amazônia.






Fonte: Revista Superinteressante, nº 328, pág. 66, janeiro/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário