domingo, 1 de fevereiro de 2015

Quase um ano de gatolândia!

No fim de fevereiro faz um ano que Stevie apareceu.

Aquele gatinho magro, com pelos espetados, com pontos nos olhos... fazia dó, todo mundo que via ficava arrasado de vê-lo tão filhote e já ter passado por tanto sofrimento. Minha mãe queria me matar, porque me pediu para não pegar mais animais, mas Stevie cativou todo mundo assim que chegou. Logo ele se adaptou e virou de casa, ia com todos, adorava um colo e comia muito bem. Por sinal comia tudo muito bem, até salgadinho o bichinho queria.

Ele foi ficando e dominando seu espaço na casa e no coração de todo mundo. Meu marido não era muito fã da ideia de termos um gato, mas em poucos dias era o mais apegado no Stevie. Stevie, por sinal, é doooido pelo meu marido! Onde ele está o chicletinho vai atrás, onde meu marido dorme, Stevie dorme junto, se meu marido vai ao banheiro, Stevie vai atrás, um xodó esses dois! 

Passados alguns dias de adaptação, reparamos que Stevie se sentia só. Chegávamos do serviço e lá estava ele sentado atrás da porta, esperando a gente chegar. Aí pintou a vontade de adotar uma amiguinha para ele. Não demorou nada para resolvermos essa situação: achei o Projeto Vida Animal no Facebook e em uma hora de bate-papo com a Patrícia já tínhamos escolhido outra pretinha para fazer companhia para nosso Tidi (Arthur não sabe falar Stevie, rs).

A escolhida foi a Cacau, que foi rebatizada de Peppa pelo Arthur. Linda, dois meses mais velha que Stevie, pretinha com manchas brancas na barriga, elegante, esguia, olhões enormes e amarelos. Chegou em casa e estava bem assustada, demorou uns dois dias para se adaptar à casa e ao Stevie, mas logo viraram grandes amigos!

Meses se passaram, virei gateira assumida, aprendi tudo sobre gatos, como cuidar, sobre a caixinha de areia, a ração mais adequada para eles, que é importante comer um sachê por dia (por causa dos líquidos), pulgas, tudo! Stevie se adaptou totalmente à falta de olhos, anda normalmente (às vezes dá uma trombada em alguma coisa, mas nunca se machucou nem nada). Peppa é dengosa e meu grudinho, adora dormir comigo, é assustada e foge do Arthur, mas aceita um carinho dele quando ele está afim.

Aí, para completar nossa família, em novembro apareceu a Branquela... estávamos viajando quando surgiu o anúncio para adoção de gatinhos. Até queríamos um terceiro gato, mas só depois que a Rafaela nascesse, só que eu não resisti, nem o Arthur e aí foi um passo para convencer meu marido, ela é linda demais! Chegou em casa uns dias depois, um toco de gatinha, pequena e delicada. Chegou bem assustada, mas logo foi se acostumando. Stevie a aceitou de cara, Peppa demorou uns três dias, mas hoje são super amigos e unidos, Peppa virou uma espécie de mãe, faz tudo pela "Buguela" (como Arthur a chama) e Stevie um irmão mais velho, os dois correm e brincam sem parar! Ah, e o nome dela é Princesa Anna, por causa do Frozen, rs.

Um quarto gato está nos nossos planos, mas só depois que a Rafaela estiver maior e eu mais rica, rs.


Anna, a nossa "Buguela"


Stevie e Peppa, nossos pretinhos fofos


Gato é tudo de bom! E não dão trabalho nenhum =^ ^=

Nenhum comentário:

Postar um comentário