segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Vida de mãe

Semana passada eu postei esse texto aqui no Facebook, num momento de total desabafo e acabou fazendo o maior sucesso entre minhas amigas. Resolvi postar aqui para guardar e para daqui uns anos eu estar verde de saudade dos filhos pequetitos...

Há alguns meses eu parei de trabalhar fora. Não completamente, na verdade estou apenas de licença, sem receber, mas de licença. Foi estranho no começo, mas a gente vai se adaptando à nova rotina, a ter menos dinheiro e a agradecer por estar maluca por cuidar o dia inteiro de filho.
Antes dessa licença acontecer, eu fantasiava com a minha vida de dona de casa: eu mandaria Arthur meio período para escola, limpo, cheiroso e engomado, com frutinhas picadas na lancheira, bolos caseiros. Rafaela seria uma princesa, viveria penteada, perfumada, com roupas combinando com lacinhos. Eu viveria de unhas feitas e passaria a me cuidar mais. Esperaria meu marido voltar do serviço, linda, com a casa limpa e organizada, com os filhos mais lindos ainda e com um belo prato elaborado à mesa. Numa noite teríamos lasanha, em outra carne assada e na outra, panquecas, além de sucos naturais, saladas, sobremesas.
Agora, mães que só trabalham em casa, riam comigo: HAHAHAHAHAHAH.
Mais um pouquinho: HAHAHAHAHAHAHAHA
Porque quem é dona de casa full time sabe que isso é tudo mentira, ahahaha!
Afinal, eu e minha cabeça dura achávamos que dona de casa "não faz nada o dia todo", "só fica na internet com as amigas", "só passeia e faz as unhas", "filho nem dá tanto trabalho assim", "cuidar de criança é fácil". E mordi minha própria língua!
Eu tenho uma mãe que trabalhou fora a vida toda. Eu trabalho fora desde os 18 anos. Sempre achei que ficar em casa era uma folga só e hoje vejo que trabalhar fora é mais tranquilo, por incrível que pareça! Ter chefe torrando a orelha, horário para entrar e sair, tem as desvantagens, eu sei. Mas quando eu trabalhava fora, eu tinha uma hora de almoço. Sentava e comia, às vezes sozinha pensando na vida, outras dando risada com colegas de serviço. Comia com calma e olha só, tomava um cafezinho depois! Aí alguém fazia aniversário, comprávamos um bolo, refrigerante, cantávamos parabéns. Tinha festa de confraternização. Fazia xixi sozinha no banheiro, olha que coisa impressionante! E ainda ganhava um salário mensalmente!
Em casa o trabalho é infinito: cuidar dos filhos, fazer comida, lavar uma louça, estender uma roupa. Deixa um filho na escola, faz mercado com o outro pendurado, volta, sobe as compras, guarda as compras. Aí você inventa de vender importados. Tira foto, edita, posta, negocia, entrega, faz correio. Aí você inventa de fazer um blog. Faz bebê dormir, escreve um pouco, dorme junto porque já são duas da manhã. Acorda às 7 para poder escrever mais alguma coisa porque às 8 a neném acorda e mama 40 minutos seguidos. O dia teve 24 horas, mas parece que teve 6.
Aí vai vendo, você fez tudo isso e nem tomou um banho. Tá descabelada e fedida. Sua bebê tá mais ainda. Você pega e dá um banho nela, ela fica lindinha. E aí você se revolta e pensa, meu Deus, será que tomei a decisão certa?
Aí eu me acalmo e penso: tenho dois filhos e os dois tem saúde, agradeça por isso primeiro! Depois eu penso, Arthur raramente adoece faz um bom tempo. Rafaela também não adoece, coisa rara. A rotina é puxada, mas não ter que bater ponto num serviço me permite levar meu filho ao cinema numa quarta a tarde ou viajar mais. Estou aprendendo a viver com menos dinheiro e menos coisas e vendo que é muito bom! Pra quê tanta coisa? Tantos móveis, objetos? Tudo bem, preciso aprender a controlar a vontade de comprar roupas pros filhos, não resisto, rs, mas para mim, finalmente aprendi! Em outubro comprei meias para mim e só, desde então não comprei mais nada. Brinquedos aqui entram muito esporadicamente. Criança brinca sempre com os mesmos brinquedos, o resto vira bagunça.
É por causa disso que decidimos mudar e muito nosso estilo. Vender, doar, trocar, desapegar de muitas coisas que temos e que nos causam stress e conflitos. A casa bagunçada dá nervoso de olhar, brigo com Arthur porque não catou seus brinquedos, me frustro por não dar conta de deixar tudo arrumado. Tô montando um álbum que vai ser tipo um família vende tudo, cheio de doações e vendas. Se você tem interesse em algo ou conhece alguém que se interessa, divulgue por favor. Me ajuda e com certeza ajudará outras pessoas Emoticon wink
E com o tempo e o dinheiro que vão sobrar com menos coisas pra arrumar, a gente aproveita pra passear e viajar, tem coisa melhor? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário